: Nessie @ 23:10

Dom, 11/11/12

 

Sábado foi o segundo dia do Lisbon & Estoril Film Festival e fui assistir à maravilhosa masterclass deste grande senhor que é Willem Dafoe. Foi uma entrevista em jeito de conversa conduzida por Tiago Rodrigues e Paulo Branco, que me encantou pela humildade e simpatia do actor norte-americano. Dafoe partilhou histórias e experiências connosco, levando-nos aos bastidores do mundo do teatro e do cinema, e levou o público às gargalhadas por várias vezes. 

Um excelente convidado para esta edição do festival, só fiquei com pena de não poder ter ficado para assistir à projecção de uma gravação da peça To You, The Birdie! porque tive um jantar de aniversário.


tags: ,


: Nessie @ 14:27

Sex, 20/07/12

 

Notas sobre o Alive '12:

 

- comparado com os dois últimos dias, o primeiro estava às moscas.

- comecei já cheia de dores nas pernas porque me tinha andado a matar no ginásio durante a semana.

- abençoada a pessoa que teve a ideia de vender Strongbow. que saudades.

- claro que eu, a Maggie e a Sue nos babámos para o sotaque irlandês do vocalista dos Snow Patrol.

- apanhámos um bocadinho de LMFAO, com quem eu tenho uma relação complicada porque não gosto mas estou destinada a ouvi-los em todo o lado, mas sempre deu para recordar bons momentos que tive com as minhas housemates em Inglaterra com o "everyday I'm shuffling."

- no segundo dia estive acampada em frente ao palco principal desde as 16h com a Sue, a Maggie, a Mollie e uma amiga dela.

- enquanto esperávamos sentadas, as pessoas que estavam nas filas mais à frente decidiram fazer de nós rotunda e não paravam quietas no seu vai-vem. bitches.

- os We Trust foram um bom começo, mas assim que os Noah and the Whale subiram ao palco é que aquilo se tornou real para mim. amei, e a "Rocks and Daggers" e a "5 Years Time" foram especialmente brutais, mas fiquei um bocado constrangida por mais ninguém à minha volta partilhar o meu entusiasmo.

- Mumford & Sons sobem ao palco e eu começo a hiperventilar.

- Mumford & Sons abrem com a Lover's Eyes e eu histérica.

- etc.

- não parei de saltar e gritar e cantar (e chorar) durante todo o concerto deles, e fiquei super feliz por também terem incluído algumas músicas novas.

- o público foi excelente e acho que nem eu estava à espera de uma recepção daquelas, quanto menos a banda. o Ted então mostrou-se super comovido com a reacção, só o via a levar a mão ao peito no final das músicas.

- o Winston foi o palhaço de sempre, adoro-o.

- o Marcus mesmo de mão partida tem uma presença em palco espectacular.

- e o Ben pôs-se a fazer os anúncios em português, tão lindo que ele é. e depois de revelar que o novo álbum sai em Setembro apresentou a música seguinte como "Below My Feet" e eu desatei a chorar porque é possivelmente a minha preferida das músicas novas.

- melhor banda, melhor concerto, voltem sempre. (só faltou a Sigh No More, mas já terem feito aquela performance fantástica da Roll Away Your Stone foi perfeito.)

- quando saíram de palco nós também nos retirámos para ir jantar e ainda vimos/ouvimos um bocadinho de Awolnation.

- encontrámo-nos com a Sofia, estivemos à conversa e quando nos levantámos reparei que numa mesa perto da nossa estava sentado o Ben Lovett.

- o BEN LOVETT.

- e eu em vez de entrar em modo fangirl como sempre (tenho uma história que ainda não contei acerca disso, mas não vou dar spoilers...), fico surpreendentemente calma e aviso as minhas amigas, "Esperem aí só um bocadinho, está ali o Ben e quero ir falar com ele." eu.

- como se ele fosse um colega da minha faculdade, ou assim.

- só que ele estava a falar com uns rapazes na mesa, e às tantas só o oiço dizer qualquer coisa como "Nice to meet you, I'm Ben" e aperta-lhes as mãos, eu viro-me para a Susana para lhe dizer que ele se está a despedir e que esta é a nossa deixa, e quando volto a olhar para a mesa já ele estava levantado e a andar dali para fora com outra pessoa. eu e a Sue todas stalkers atrás deles a tentar apanhá-los mas a tentar não ser demasiado óbvias, e assim do nada eles entram na stage door do palco heineken.

- all of the sad. mas já fiquei bastante feliz por o ter visto e por ele parecer tão simpático. para a próxima...

- The Cure lembrou-me imenso os últimos meses em Erasmus, e principalmente a Andrea. tenho tantas saudades das pessoas.

- ao pé de nós estava um inglês completamente bêbado e abstraído, que dançava/cambaleava de um lado para o outro, pelo que apesar da densa multidão havia sempre uma clareira à volta dele à medida que as pessoas se afastavam para que não fosse meter conversa. às tantas só vejo a Maggie a fazer uma careta e meio segundo depois está ele a espreitar entre mim e a Mollie. ainda nos rimos um bocado.

- fez tanto frio naquela noite que às tantas desistimos de The Cure e fomos refugiar-nos entre o calor humano da plateia da Katy B.

- o dia seguinte foi claustrofóbico no mínimo. fomos só eu e a Sue, e encontrámo-nos lá com uma amiga minha da faculdade.

- embora esteja pobre como tudo sacrifiquei a minha conta bancária por uma t-shirt dos Mumford & Sons porque me apaixonei por ela.

- vimos Miles Kane, e depois fomos até ao outro palco para ver The Kooks.

- no fim voltámos a trocar de palco para ver Maccabees.

- admito que não oiço Radiohead, mas o concerto deles foi muito bom. só via praticamente os ecrãs e estava a morrer de dores nas costas, de tal maneira que a certo ponto pensei em desistir e ir sentar-me nalgum lado, mas ficámos até ao fim.

- acabámos o festival com The Kills, com muito cansaço, muitas dores musculares, e muitos bons momentos.

 

Agora são quatro dias até Bon Iver. Este ano estou on fire.




: Nessie @ 00:29

Sab, 12/11/11

ir assistir ao un été brûlant em lisboa num dia de greve de comboios tem que se lhe diga. foi chegar a lisboa às 13h30 e só voltar a ter comboio às 23h.
mas quando é para ver o louis garrel ao vivo e a cores, qual é o incómodo disso?
ainda bem que a fnac existe, e assim passámos horas a examinar estantes até acabarmos sentadas na alcatifa com um monte de livros para analisar.

 

e valeu a pena porque afinal, é o louis garrel. such a charmer, oh no
Photobucket



: Nessie @ 22:37

Dom, 06/11/11

 

gostei muito de a dangerous method, para além de ter achado um filme lindíssimo.

a masterclass com o david cronenberg foi excelente, tivemos direito a uma preview exclusiva do cosmopolis, e fiquei completamente starstruck à conta do paul giamatti, que é genuinamente engraçado 'na vida real'.

 

tenho de fazer isto mais vezes.




: Nessie @ 18:09

Qui, 20/10/11

 

looking good.



quote de descrição do blog: últimas palavras de François Rabelais, segundo o livro Looking for Alaska (John Green) imagem do cabeçalho via catfromjapan.tumblr.com
Apenas possuo imagens publicadas no meu blog quando mencionado. Todas as restantes - a maioria delas - são retiradas da internet.
"I go to seek a Great Perhaps.
mais sobre mim
contacto
nessieontherun@gmail.com

bloglovin
links
subscrever feeds