: Nessie @ 14:08

Dom, 22/11/09

Autora: Jane Austen

 

Título: Orgulho e Preconceito

Título Original: Pride and Prejudice

 

Editora: Publicações Europa-América

 

Ano: 1813

 

Escolha: Há já pelo menos três anos que estava interessada em livros de Jane Austen devido ao seu estatuto e importância para com a Literatura Inglesa. Depois de ver a adaptação cinematográfica de Joe Wright, fiquei absolutamente cativada por todo o desenrolar da história, e procurei pelo livro em todas as livrarias que conhecia sem qualquer sucesso - a tag Jane Austen no meu blog relata a busca incansável. Por fim, lá o encontrei; e apesar do preço elevado que paguei por ele, posso agora afirmar que valeu a pena.

 

Sinopse (via http://pt.shvoong.com/books/479516-orgulho-preconceito/ - adaptado): Orgulho e Preconceito é um livro fantástico carregado de emoções. Lizzie, ou Elizabeth, é a mais velha de cinco irmãs, precedida por Jane, Lídia, Mary e Kitty. A aspiração de Mrs. Bennet, mãe das cinco raparigas, é conseguir para elas um bom casamento capaz de as manter após a morte de Mr. Bennet uma vez que, por serem mulheres, não poderão herdar a propriedade que habitam. Vendo no casamento a solução para o futuro das filhas, Mrs. Bennet, uma senhora irritadiça e um pouco ignorante (que justifica todas as suas faltas com os nervos), procura tirar partido da chegada de um novo e afortunado cavalheiro à cidade; Mr. Bingley. (...)

 

Comentários da Imprensa (contra-capa do livro):

Orgulho e Preconceito é, sem dúvida, uma das obras em que melhor se pode descobrir a personalidade literária de Jane Austen. Com o fino poder de observação que lhe era peculiar, a autora dá-nos um retrato impressionante do que era o mundo da pequena burguesia inglesa do seu tempo: um mundo dominado pela mesquinhez do interesse, pelo orgulho e preconceitos de classe. Esse orgulho e preconceito que, no romance, acabam por ceder o passo a outras razões com bem mais fundas raízes no coração humano.

 

Comentário pessoal:

Este romance tornou-se um dos meus livros preferidos de sempre, se não o preferido. É daqueles que sei que irei reler vezes sem conta sem nunca perder o entusiasmo pelo decorrer da história.

Aconselho a quem ainda não o leu não só a pegarem nele como também a não pesquisarem a sua sinopse pormenorizada; esta é uma história complexa que dá voltas inesperadas e que nunca nos previne sobre o que irá acontecer a seguir. É claro que, para quem já sabe ou já viu o filme, posso assegurar de que o livro não irá perder o encanto, e irão vivê-lo como se o descobrissem pela primeira vez.

A escrita de Jane Austen é deliciosa, verdadeiramente genuina porque ao contrário de outros romances históricos que já li, este foi escrito na época que retrata e assim transporta-nos com maior facilidade para a sociedade inglesa do início do século XIX.

As personagens são únicas: cada uma foi trabalhada individualmente, e nunca perdem o seu carácter. É fácil distinguirmos e caracterizarmos cada uma não só por aquilo que nos foi descrito em palavras como também pelo que nos apercebemos entre-linhas nas suas acções e diálogos.

Esta história não é um conto de fadas, o típico 'boy meets girl = romance' que muitos romances hoje em dia retratam. (Não que não goste desse género, afinal a minha estante está cheia de Nora Roberts.) Sabe bem quando de vez em quando somos confrontados com um livro que nos conta que nem tudo se faz de primeiras impressões. (Curiosidade: o título que Austen tencionava dar à obra inicialmente era First Impressions.) Não só nos relata uma história de amor complexa desenrolada dentro de uma sociedade estruturada, como também nos ensina disfarçadamente as mais valiosas lições sobre relações humanas ao longo de todas as páginas.

 

Aconselho a toda a gente, principalmente a quem se interessa por Clássicos que nunca saem de moda.

 

Capa: A minha edição vem com uma sobre-capa alusiva ao filme de Joe Wright, e gosto bastante da fotografia que escolheram. Por baixo a capa é bem menos apelativa.

 

 

Já devia ter feito esta crítica há muito mais tempo, estou bastante atrasada com esta rúbrica mas ultimamente não tenho tido tempo... para a próxima podem contar com O Retrato de Dorian Gray.



De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




quote de descrição do blog: últimas palavras de François Rabelais, segundo o livro Looking for Alaska (John Green) imagem do cabeçalho via catfromjapan.tumblr.com
Apenas possuo imagens publicadas no meu blog quando mencionado. Todas as restantes - a maioria delas - são retiradas da internet.
"I go to seek a Great Perhaps.
mais sobre mim
links
subscrever feeds