: Nessie @ 18:14

Seg, 31/08/09

Hey there!

Voltei já no Sábado de manhã, mas não tenho tido tempo para o blog.

 

Simplesmente amei a [curta] estadia em NYC! Sempre que lá estou sinto-me bem, sinto-me no meu meio... é simplesmente deslumbrante.

 

Ser filha do "Sr. Comandante" tem as suas vantagens: as passagens são bastante mais baratas, embora não nos sejam atribuidos lugares no avião. Ou seja, ficamos com os lugares que sobrarem; se o voo for cheio, temos de ir no cockpit ou sentados nos lugares dos assistentes de bordo. Por muito fascinante que possa parecer, viajar no cockpit é na verdade uma seca; raramente se pode fazer barulho, os assentos são desconfortáveis e o espaço é quase claustrofóbico. Se alguém perturbar o Comandante ou o Co-piloto, sofrerá as consequências. (Co-piloto esse, que desta vez era bem giro!)

Felizmente eu e o meu irmão acabámos por arranjar lugar na Executiva, o que é sempre um prazer ;D E a tripulação era jovem, logo não haviam as típicas hospedeiras pré-históricas que nos cumprimentam com um grande sorriso amarelo "Oh, são os filhos do Comandante! Tão crescidos! Já foram a Nova York?" e passam o voo todo a perturbarem-nos quando tentamos adormecer com perguntas do género "Quer alguma coisa para beber? Que tal foram as notas na escola este ano? Não quer ir lá à frente falar com o pai?".

-.-'

 

Uma das vantagens de viajar na Executiva é que temos uma televisão com vários canais à disposição, cada canal com um filme diferente. Os únicos que eu conhecia eram o Star Trek e o 17 Again, e como já tinha visto o Star Trek no cinema (e adorado) decidi dar uma hipótese ao Zac Efron, a quem eu torço o nariz desde sempre.

Então não é que afinal ele nem é mau actor? Devo admitir que até gostei do filme, e que o Efron me surpreendeu pela positiva.

 

Durante a aterragem, eu nem queria acreditar na paisagem lá em baixo. O avião sobrevoou Massachussets antes de se dirigir ao destino final, pelo que pude apreciar da minha janela as centenas de lagos que pareciam multiplicar-se lá em baixo.

E antes que eu desse por isso, tinhamos aterrado no aeroporto de Newark.

 

Agora, quando eu digo que vou a Nova York não quero necessariamente dizer que fico em Nova York. Na verdade fico em Newark, uma cidade de New Jersey perto da fronteira com NY, que só por acaso era famosa há uns anos atrás por ser a capital norte-americana do crime e ainda hoje é considerada uma das comunidades mais perigosas.

Mas é muito mais glamoroso dizer New York porque é lá que passo os dias.

 

E lá fomos nós até ao Hilton. Que mais uma vez, não é tão glamoroso como pode soar, é na verdade um hotel velhíssimo com uma decoração pirosa e do outro lado da rua da Penn Station. O nosso quarto tinha vista para os exaustores, com a respectiva banda sonora. Mas as camas são do mais confortável possível! Eu ainda quis trazer o colchão comigo de volta para Portugal, com a meia-dúzia de almofadas e edredon de penas incluído.

*-*

 

Mas ficámos pouco tempo no hotel, até porque já eram 5 da tarde. Foi só o tempo de deixarmos lá a mala e do meu pai mudar de roupa, e depois apanhámos na Penn Station o comboio/metro até à estação do World Trade Centre.

 

Daí demos uma volta pela cidade, entrando ocasionalmente em lojas até chegarmos a Chinatown. Eu queria ir até East Village, que é a minha zona preferida, mas o meu irmão teimou que queria ir comprar um relógio a Chinatown. Escusado será dizer que acabou por não comprar nada.

 

Já eu e o meu pai estávamos fartos de entrar em tanta loja por causa do meu irmão (isto já ao pé da Broadway) quando decidímos que estava na altura de irmos até ao South Street Seaport. Estavamos a atravessar a rua quando começámos a sentir uma das melhores e mais reconhecíveis fragrâncias do mundo: Abercrombie cologne. Hmm...

Entrámos então na Abercrombie & Fitch, uma das minhas lojas de roupa favorita. O ambiente é muito casual: música alta, luzes suaves, perfume irresistível, assistentes descontraídos (e lindos de morrer!!) e roupa simples mas apelativa (embora um pouco mais cara - se bem que se convertermos para euros, os preços são acessíveis.).

A Abercrombie da 5th Avenue é então a melhor loja do Universo. Um pedaço do Paraíso na Terra. Lá a música é mais alta, as luzes mais escassas, o perfume mais intenso, a roupa tem mais variedade e o mais importante de tudo: verdadeiros deuses em tronco nu. Sabem o que é um rapaz podre de bom em tronco nu e giro que nem uma estrela de cinema vos vir perguntar se precisam de ajuda? Uma pessoa nem sabe bem o que responder, porque todas as respostas que lhe ocorrem não têm nada a ver com a roupa que estão a escolher! Se é que me entendem.

 

Mas desta vez não fomos a essa A&F, logo foi mais fácil eu concentrar-me em conseguir qualquer coisa a um preço que não fosse fora do orçamento, e lá consegui sair da loja com uma camisola decotada azul-escura.

 

Seguimos então para o centro comercial de South Street Seaport, onde o meu irmão pediu sushi enquanto que eu e o meu pai dividimos dois pratos monstruosos de nachos e tacos de um restaurante mexicano dirigido por chineses.

Jantar em South Street Seaport é deslumbrante, com os prédios mais bonitos de Downtown de um lado e o rio Hudson, a Brooklyn Bridge e Brooklyn  do outro.

Depois do jantar voltámos ao World Trade Centre, onde apanhámos o comboio/metro de volta a Newark de barriga cheia e pés doridos.

 

No dia seguinte acordámos às 5:30 da manhã locais. Lá fora a cidade ainda estava coberta por um céu de uma tonalidade de azul escuro fascinante, na televisão eram anunciadas as últimas novidades sobre o furacão Danny, e os exaustores continuavam a fazer uma barulheira infernal. Eu deixei-me ficar embrulhada na melhor cama do mundo por uns minutos, até o meu pai revelar um pacote monstruoso de american cookies (as minhas preferidas!) que tinha comprado no dia anterior. Ataquei as bolachas e estávamos prestes a sair do quarto quando oiço a televisão dizer "Good morning, Iness!"

O.o

Estaria o senhor da metereologia a falar comigo? Falso alarme: a outra senhora da metereologia é que se chamava Ines qualquer-coisa. xD Mesmo assim, eu e o meu irmão rimo-nos ainda por um bocado.

 

Apanhámos o comboio/metro para a 33rd Street, onde chovia quase torrencialmente e o céu não dava sinais de melhoria. Entrámos numa 99 cent Store, mais pela piada, mas acabámos por sair de lá com várias compras. Pouco ou mesmo nada se vendia a 99 cêntimos, mas os preços não subiam muito mais - e embora fosse uma loja de coisas baratas, tinha direito a três andares. O meu irmão agarrou num frasco de manteiga de amendoim, o meu pai procurou por guarda-chuvas e depois apontou para uma zona que vendia livros. Eu ainda gozei, dizendo que só deviam haver livros esquisitos, quando vejo um livro da Meg Cabot que sempre quis ler: Airhead. Nem quis acreditar quando vi que apenas custava 5 doláres! O livro foi um best-seller! Peguei nele e adicionei-o ao cesto de compras.

 

Depois seguimos até à Borders perto do Madison Square Garden. Para quem não sabe, a Borders é uma loja de livros, imprensa, filmes e CDs. Assim um pouco como a Fnac, mas concentra-se mais em literatura. E obviamente, eu perdi a cabeça. Como já lá tinha estado das outras vezes, assim que entrámos o meu pai nem estranhou eu ter ido a correr para o andar de cima. É lá que estão os livros YA, Young Adult, que cá em Portugal pouco se traduzem. E como eu sigo vários blogs sobre novidades YA nos Estados Unidos, já tinha uma lista de livros para considerar. (Incluindo o Airhead que espero que tenha as páginas todas.)

Comecei a entrar em curto-circuito. Todos os livros me pareciam interessantes! E depois haviam várias séries de livros, como a Private, a Privilege,... os livros de Gossip Girl tinham capas lindas!

Procurei primeiro pelo livro número um da minha lista: Psych Major Syndrome, de Alicia Thompson. E encontrei :) Depois procurei pelo The Mediator Series: Twilight de Meg Cabot, mas para grande desilusão não havia! Só me falta mesmo aquele para completar a colecção!

Uma das autoras em destaque na secção YA era Sarah Dessen, pelo que procurei pelos livros dela e o Along for the Ride chamou-me mais a atenção pela capa. E depois de ler a sinopse, não resisti em agarrar nele. Como não me podia exceder mais, despedi-me com tristeza da secção YA e fui ter com o meu pai e o meu irmão ao café da Borders, onde pedi um cappucino e um brownie delicioso. Ainda pude dar uma última volta depois do pequeno-almoço, e fui confundida por uma assistente de vendas da loja. Quem me dera puder trabalhar na Borders!

Antes de sair peguei num exemplar da NYLON, e seguimos até lá fora para mais um shopping spree.

 

GAP, H&M, American Eagle, Forever21,... Acabei por comprar apenas uns jeans na GAP e uma hoodie da AE. Gostava de ter comprado um vestido e uma trenchcoat que tinha visto no site da Forever21, mas:

1) A loja parecia uma feira, tal era a confusão. Com a excepção de que as feiras não costumam ter paredes pintadas de rosa-choque.

2) As filas para pagar eram gigantes. E quando eu digo gigantes quero mesmo dizer filas de quinze metros, sem exagero.

3) O tecido da saia do vestido era meio estranho, como se fosse plástico ou impermeável...

4) Não havia a trenchcoat. Snif. Tinha sido removida do catálogo.

5) Não vi mais nada que valesse a pena esperar 30 minutos para pagar. (Até porque não tinha esse tempo para queimar.)

6) Há com cada roupa extravagante e absolutamente ridícula que se torna difícil encontrar algo que se aproveite. A partir do site tudo parece bonitinho, mas na loja há muito mais por onde [não] escolher.

 

Já exaustos e atrasados, corremos (literalmente) até um restaurante que se tornou um dos meus preferidos de sempre: IchiUmi. Como o nome deixa adivinhar, é um restaurante japonês que serve rodízio do mais variado sushi e gastronomia japonesa. Amei!! Simplesmente delicioso!

 

Depois lá voltámos para Newark, onde dormimos uns minutos antes de deixarmos o hotel às 4 da tarde, para voltar a Lisboa.

 

E eis a minha mini-estadia em NYC resumida. :D

Peço desculpa pelas poucas fotos, mas não houve tempo para parar e tirá-las como deve de ser, por isso quase nem tirei nenhumas - além de que no segundo dia estive mais ocupada a agarrar no chapéu de chuva que na câmara.

 

dream on,

Nessie

 

fotos © Nessie @ nessieontherun.blogs.sapo.pt

 


mood: com saudades...
tune: gentlemen - Teddy Geiger


: Nessie @ 10:13

Qua, 26/08/09

 

Despeço-me assim à pressa porque amanhã vou para Nova York e volto no Sábado de manhã.

O meu pai deve-me vir buscar a qualquer momento e não vale a pena eu levar o Toshiba atrás só por um dia - embora eu não saiba como é que eu hoje vou sobreviver sem internet.

 

See you when I see you!

 

dream on,

Nessie


mood: about to be at home
tune: new york new york - Frank Sinatra


: Nessie @ 15:33

Ter, 25/08/09

 

Ontem fui até ao Oeiras Park.

(Num parênteses assim mais para o razoável que para o pequeno, quero acrescentar o porquê de ter ido ao Oeiras Park.

A minha madrasta comprou ao filho um televisor LCD para o quarto que ele partilha com o meu irmão, de modo a substituir a TV primitiva que lá estava. O filho dela diz que foi a prenda de aniversário, e eu sinceramente já não tenho certezas quanto ao dia em que ele faz anos. Nos anos anteriores sempre foi em Setembro; mas se as pessoas insistem em dar-lhe prendas durante todo o mês de Agosto eu já concordo com o meu irmão que diz que "ele faz é anos todos os dias". Enfim.

Isto só para dizer que depois de o dito LCD estar todo montado e de a minha madrasta e o respectivo filho se estarem a babar para cima dele, o meu irmão faz a sua intervenção inteligente: "Hum... este LCD não dá para televisão."

Ora nem mais! As provas eram mais que muitas: os simbolizinhos de compatibilidade com computadores na caixa, a ausência de um comando,... ah sim, e não havia entrada para os cabos da TVCabo e afins!

Quem é que compra um televisor por aquele preço sem olhar sequer para a descrição?!

Pronto, eu e o meu irmão ainda nos rimos da situação porque a madrasta ficou toda frustrada.

E lá fomos todos a reboque para o Oeiras Park à hora do jantar, para que o dito LCD fosse trocado.)

 

Como não quis andar ali às voltas na Worten, perguntei ao meu pai se podia antes ficar-me pela Bulhosa.

Pai: Eu depois vou lá ter contigo. Mas ficas lá meia-hora, ou mais se fôr preciso?

Obviamente, o meu pai não me conhece. Enquanto eu estiver rodeada de livros, o tempo não conta.

 

Lá foi a Nessie toda feliz para a livraria, a ler sinopses, considerar preços, todo o ritual habitual. Quero tantos livros! Estive mesmo quase a comprar O Pacto, de Jodi Picoult. E mais meia dúzia deles, mas esse é o que está no topo da lista.

Inevitavelmente fui à procura dos livros de Jane Austen. (Admitam, já tinham saudades.) Mas não havia -.-' Portanto.

 

Passados muitos, muitos minutos, fui até à secção das revistas e foi então que as minhas hormonas começaram aos saltos.

Vi um exemplar da revista NYLON!

Com a Sienna Miller na capa!!!

 

Folheei-a com os olhos super arregalados, a babar-me para todos os artigos, mas quando olhei para o preço todo o brilho caiu por terra. Dar quase 7€ por uma revista é um luxo ao qual eu renunciei há uns tempos - revistas estrangeiras são a minha desgraça, a minha droga.

Considerei. Reconsiderei. E pousei a revista quase a fazer beicinho. (Vá, não cheguemos a extremos.)

E depois vi a zona de revistas estrangeiras de música, uma das revistas tinha os Arctic Monkeys na capa! E depois a do lado tinha os Kings of Leon, com uma reportagem especial "On the Road"!

Fechei os olhos perante tamanha overdose e respirei fundo. "Ness, tu não precisas disto. Além do mais, tens uma revista inteiramente dedicada aos KOL pela qual pagaste £5, por isso não insultes a tua racionalidade!"

 

E lá me convenci. Saí da Bulhosa de mãos a abanar, extremamente infeliz mas orgulhosa por ter (a)testado os meus impulsos consumistas.

Estou a fazer progressos!

 

E agora despeço-me para ir comprar os livros do 12ºano. Help!

 

dream on,

Nessie

 


mood: caught in the middle
tune: the show - Lenka


: Nessie @ 10:08

Ter, 25/08/09

OMFG!!

OS ARCTIC MONKEYS VÊM A PORTUGAL EM FEVEREIRO!! DIA 2 NO COLISEU DO PORTO E DIA 3 NO CAMPO PEQUENO!!

 

*dies*

 

fuck, porque é que não tenho dinheiro para comprar o bilhete já amanhã? 


mood: eufórica!!
tune: brianstorm - Arctic Monkeys


: Nessie @ 21:33

Dom, 23/08/09

 

Hoje recebi um e-mail que não podia ter vindo em melhor altura.

 

Há cerca de uma semana atrás escrevi a uma das minhas bloggers favoritas a propósito de ela "desistir" do blog. Eu já era mega-fã há pouco mais de um ano, principalmente pelos seus pontos de vista e filosofias. É realmente inspirador, um blog de reflexões sobre a vida segundo uma jovem free-spirit. Por isso decidi que não podia deixar de lhe agradecer pessoalmente por ter continuado com o blog durante tanto tempo e por me ter inspirado em várias decisões que tomei, além de lhe desejar boa sorte para os sonhos que ela se prepara para alcançar.

 

A resposta foi a seguinte:

 


 

Hello dear!

So lovely to hear from you, we haven't talked in such a long time!

Aw, thanks, I've always appreciated your support of GMNYC, and I'm so happy you can be inspired by my posts! I think it's wonderful you're taking a gap year to travel, I think the experience one gains from traveling is invaluable. Don't worry too much about finding yourself though, there's a quote by George Benard Shaw, that's has always inspired me and says: Life isn't about finding yourself. Life is about creating yourself. I think that's absolutely the truth... we shouldn't squander our days looking for ourselves, as if we exist, somewhere else, outside ourselves, and will one day turn the corner, and exclaim, "Oh, there I am! That's who I am", but rather create ourselves, make of ourselves whatever we want, be whoever we want to be, just as long as it feels true and right in our hearts. :)

And I'm happy to hear you want to take control of your life, because if you want to enough, you can, and too many fall prey to others' opinions, and spend their life doing what others want them to do, and never what they want to. So, just go where your heart takes you, and let everything else fall into place. I used to think I had to have some destination in life, some ultimate goal, but I believe life is really the journey, not the destination, and spoiled, somewhat, if we try and hurry to get "somewhere", when maybe we should just relax and enjoy the ride.

Aw, well thank you for making me feel that I'm not alone in my thoughts either, as it goes both ways. Best wishes to you, as well, dear, and once again, I appreciate your support so much! Oh and really hope you like, "Night Train To Lisbon", it's one of my all time favorites!

xoxo,
S-C

 


 

Espero que se inspirem nas suas palavras tanto como eu. E já agora, não custa nada dar um saltinho ao blog.

Agora despeço-me para ir ver o Paranoid Park, que segundo ouvi dizer é bastante bom.

 

dream on,

Nessie


mood: inspirada
tune: walk away - Ben Harper

quote de descrição do blog: últimas palavras de François Rabelais, segundo o livro Looking for Alaska (John Green) imagem do cabeçalho via catfromjapan.tumblr.com
Apenas possuo imagens publicadas no meu blog quando mencionado. Todas as restantes - a maioria delas - são retiradas da internet.
"I go to seek a Great Perhaps.
mais sobre mim
links
subscrever feeds