: Nessie @ 19:37

Ter, 21/02/12

 

Não sou do tipo de ficar calada durante as aulas. Também não faço parte daquele género irritante que acha que todo e qualquer pensamento que se desperta tem de sair cá para fora (sabem aquelas pessoas que adoram comentar o óbvio na esperança que o professor os adore? Oh, de vez em quando apanho com cada um,) mas quando sinto que tenho qualquer coisa a acrescentar à aula, faço-o.

Aqui em Inglaterra acontece o mesmo - a minha participação nas aulas às vezes faz-me sentir uma verdadeira Hermione, porque como acho os temas tão interessantes chego a ter de me controlar para não falar até demais. À excepção da minha aula de literatura.

 

Ora estou a fazer uma cadeira de literatura que é uma disciplina mesmo a sério - temos de ler uma série de obras, dois trabalhos escritos, e um exame. Até aqui tudo bem, resolve-se. Agora o método das aulas é o seguinte: à segunda-feira temos uma aula em que o professor nos apresenta e explica o tema da semana (a chamada "lecture"), e na terça-feira a turma é dividida em dois turnos para o "seminar" onde os alunos discutem com o professor os assuntos de acordo com o que aprenderam nas leituras e na lecture do dia anterior. O professor é óptimo, explica muitíssimo bem as coisas, encoraja os alunos a participarem, e tenta compreender as diferentes ideias que são partilhadas - mas eu pareço estar numa fase em que a confiança para falar abertamente ainda não despertou. Acho que por um lado me sinto demasiado intimidada face aos meus colegas. A minha housemate diz que é porque são todos ingleses, e o sotaque faz com que as coisas mais banais que eles dizem pareçam incrivelmente inteligentes aos nossos ouvidos estrangeiros. E não é que tenha vergonha exactamente, até porque eles têm sido bastante simpáticos, cumprimentam-me sempre e até metem conversa, e quando temos de discutir questões em grupos aceitam os meus pontos de vista. Mas chega a altura de eu ter de falar para a sala toda e a coisa torna-se um desastre.

Na semana passada, depois de estudarmos uns poemas em grupos, o professor pediu pela minha opinião num dos tópicos. Foi a primeira vez que participei e tentei ser o mais clara possível no meu raciocínio, mas ao mesmo tempo não conseguia parar de pensar para comigo mesma, "Porque raio é que eu estou a ficar vermelha?!"

Sempre foi um problema. Fico corada com facilidade, especialmente se estiver numa sala que começa a ficar abafada ou com luzes artificiais - as minhas bochechas acendem-se num instante. Mas quando tal estado se agrava enquanto estou a falar para a sala inteira? Não é lá muito conveniente.

Hoje foi a mesma coisa. Estávamos a falar sobre parágrafos ou passagens em particular em Howards End que evocassem características modernistas, e eu aproveitei o silêncio que se tinha instalado para chamar a atenção para o capítulo cinco. O professor perguntou-me se eu podia dar alguns exemplos, e à medida que eu os ia explicando estava perfeitamente consciente da mudança de cor a acontecer no meu rosto.

Excelente.

 

novos posts


tune: rabbit heart (raise it up) - florence + the machine


Rita @ 20:28

Ter, 21/02/12

 

I understand! Há aqueles momentos em que olhamos para a frente e só vemos pessoas com os olhos fixos em nós! Eu não me importo de explicar, apresentar algo, quando estou absolutamente dentro da matéria/assunto, mas, muitas das vezes, não consigo relaxar, porque os colegas que apresentam comigo não fazem o melhor dos trabalhos :3

I'm sure everybody loves you and your ideas, 'cause you're smart, so don't worry :D


Nessie @ 20:44

Ter, 21/02/12

 

eu nem sequer estou a olhar para ninguém em particular, e normalmente até me sinto bastante confiante naquilo que digo, mas nesta aula dá-me para isto! obrigada rita, you're the best :)

beijinhos.

So what? ▲ @ 20:31

Ter, 21/02/12

 

bem-vinda ao clube!
Até em português, a mim é assim!
Ainda a semana passada aconteceu-me isso, fiquei vermelha, a sentir cada vez mais calor e enquanto falava, fui despindo alguma roupa, a ver se melhorava a coisa, mas não :p
Beijinhos


Nessie @ 20:43

Ter, 21/02/12

 

hahaha imagino! é do pior porque uma pessoa nem consegue controlar. a mim aconteceu-me uma vez, no final de uma apresentação, uns amigos virem ter comigo a perguntar se eu me sentia bem porque até o meu pescoço estava completamente vermelho xD

Luís @ 23:39

Ter, 21/02/12

 

Acontece-me tantas vezes isto. O problema é que é em Português, por isso nem tenho desculpa *facepalm*

Tal como tu, sinto claramente a temperatura a subir e sei que estou a ficar vermelho. Torna-se extremamente desconfortável e algumas vezes até me perco no raciocínio. Acho que é um pouco de insegurança.

PS: Leio o teu blog há algum tempo e adoro. Espero que continues a postar. É muito engraçado seguir um pouco a tua vida quase como se fosse uma espécie de novela. Love It :)


Nessie @ 23:51

Ter, 21/02/12

 

haha obrigada pela solidariedade! :) é horrível porque é completamente involuntário e por muito que tente mostrar confiança enquanto falo, apercebo-me de que as pessoas estão certamente a reparar na maneira como começo a corar.

quote de descrição do blog: últimas palavras de François Rabelais, segundo o livro Looking for Alaska (John Green) imagem do cabeçalho via catfromjapan.tumblr.com
Apenas possuo imagens publicadas no meu blog quando mencionado. Todas as restantes - a maioria delas - são retiradas da internet.
"I go to seek a Great Perhaps.
mais sobre mim
contacto
nessieontherun@gmail.com

bloglovin
links