: Nessie @ 16:58

Dom, 20/10/13

 

A quem ainda estiver por aí,

 

A minha vida já deu umas quantas voltas desde que aqui escrevi pela última vez. Acabei o curso e resolvi deixar a ideia de tirar mestrado on hold. Quem costumava ler o que por aqui se escrevia sabe que já após ter acabado o secundário gostaria de ter tirado um ano antes de regressar aos estudos para sair de casa, ser espontânea, ir à aventura, viver um bocadinho. Acabei por fazê-lo agora num contexto diferente.

Encontro-me há três semanas em Londres.

A meio do Verão enviei um currículo para um emprego que nem sabia muito bem o que era, nem tão pouco pensei que tivesse a ver comigo, mas resolvi arriscar. Em Agosto trabalhei numa biblioteca infantil, e durante uma hora de almoço recebo um telefonema da empresa para onde me tinha candidatado. Quiseram marcar uma entrevista; vim até Londres para o fazer. Não tinha vontade nenhuma de lá ficar, comecei a ficar aterrorizada com a ideia de que não estava à altura de um emprego daqueles, que afinal não queria. Após a primeira entrevista passei o fim-de-semana a passear pela cidade, a familiarizarmente novamente com este sítio. E pensei que mesmo que o emprego não seja o que quero, que se foda, eu quero é isto, quero este sítio, quero esta liberdade, quero esta alegria. Inglaterra faz-me sempre sentir tão à vontade para ser o que quiser. Chamaram-me para uma segunda entrevista na segunda-feira, e no dia a seguir a regressar a Portugal recebo um telefonema a dizer que me querem fazer uma oferta.

A mudança foi uma correria, mas nunca hesitei. Já cá estou. Há dez anos que queria isto.

E estou bastante feliz, bolas. Tão feliz. Não sei o que vai ser da minha vida daqui para a frente mas por agora posso dar-me ao luxo de viver um dia de cada vez.

Até do trabalho estou a gostar, muito mais do que alguma vez esperei. Procurei casa com uma amiga com quem falava apenas pelo twitter há cerca de ano e meio e que só conheci pessoalmente quando vim cá para a entrevista, porque a vida tem destas coisas engraçadas. E passámos aqui umas semanas difíceis mas para já já temos um apartamento a que podemos chamar casa por uns tempos.

 

Não sei como me sinto em relação a este blog. Como já devem ter percebido, não lhe tenho dedicado tanta atenção. Penso que começarei a usar mais este, e há uns tempos comecei um canal no YouTube que tem andado parado mas também há de ver dias melhores daqui para a frente.

Para já não vou tomar uma decisão em relação a este meu cantinho, mas penso que continuará a ficar bastante calado. O que actualizo mais frequentemente são as minhas contas do twitter e instagram, para quem estiver interessado em updates.

 

We'll see.


tune: settle down - the 1975


: Nessie @ 19:15

Ter, 02/04/13


I had felt I knew everything and now realised I knew nothing. More importantly, everything I had learned or assimilated from my parents I now regarded as unreliable, and needing to be rethought from scratch. In fact, I probably went further - I felt that
everything my parents believed was by definition wrong, and that if I ever found myself in agreement with my parents I should immediately recant. Everything from my father's 'Neither a borrower nor a lender be', to my mother's 'Blue and green should never be seen' needed to be jettisoned. But in a way what they said wasn't the problem: what I was most worried about was the attitudes, prejudices, beliefs, I might have picked up from them subconsciously or before I was old enough even to know what I was learning. Effectively, I had to question everything I believed, and never accept my own instincts. It required constant vigilance; it was intellectually exhausting.


An Education, Lynn Barber


tags: ,


: Nessie @ 14:52

Dom, 24/03/13

 

 

Porque vale sempre a pena as longas horas de espera para os ver, principalmente quando se consegue um lugar sem ninguém à frente a tapar a vista e mesmo junto ao palco. Tão perto que no início até deu para estabeler contacto visual com o Ben e vê-lo a sorrir na nossa direcção (Ben, acho que já podemos ser considerados amigos,) e ver toda a emoção nas caras dos meus quatro gentlemen, a banda que ultrapassa qualquer outra no meu coração.
Podem não ter tocado as minhas queridas "Hopeless Wanderer", "Below My Feet" e "Sigh No More", mas com um concerto daqueles eu perdoo-os e cá fico à espera de uma próxima. E outra. E outra.
Para me despertarem a alma de todas as vezes.
E um grande obrigada à minha companhia na longa espera para entrar no Coliseu e durante o concerto. Cinco estrelas!



: Nessie @ 21:19

Qua, 20/03/13

 

 

 

A minha mãe encontrou uns negativos de uma sessão fotográfica que fizemos há 12 anos para a Casa Cláudia, no ano em que vivemos numa velha casa (assombrada) em Sintra. Acabada de chegar da equitação, fui chamada pela produtora para tirar umas fotografias no pátio com o famoso cheesecake da minha mãe, fotografias que não foram publicadas na revista. Os negativos ficaram esquecidos, mudaram de casa, passaram por um divóricio, e agora encontraram-me aos 20 anos. São boas memórias.


tune: you remind me of home - ben gibbard


: Nessie @ 21:11

Sab, 02/03/13

 

Isto de finalmente poder conduzir o carro da mãe um ano após ter tirado a carta, e andar por aí ao som dos Alt-J, é outra qualidade de vida.


tune: tesselate - alt-j

quote de descrição do blog: últimas palavras de François Rabelais, segundo o livro Looking for Alaska (John Green) imagem do cabeçalho via catfromjapan.tumblr.com
Apenas possuo imagens publicadas no meu blog quando mencionado. Todas as restantes - a maioria delas - são retiradas da internet.
"I go to seek a Great Perhaps.
mais sobre mim
links
subscrever feeds